Futuro imaginado para os carros depende do 5G

Futuro imaginado para os carros depende do 5G

02/06/2022
0 Comentários

O leilão para a internet 5G está marcado no Brasil para o segundo semestre deste ano, com chegada prevista só para meados de 2021. No resto do mundo, uma briga entre EUA e China tenta provar qual o sistema mais eficiente. Independentemente do resultado, é importante saber que ela será essencial para o futuro da indústria automotiva.

Carros voadores, autônomos, V2X e toda sorte de futurologias automotivas vão depender do 5G, que tem velocidade de envio e recepção de dados entre 10 e 20 vezes mais rápida que o 4G usado em larga escala no mundo.

5G: diferenças

Além disso, o 5G promete ampliar a rede de cobertura. Isso garantirá que os novos sistemas dos veículos funcionem de forma mais eficiente, sem as chamadas áreas de sombra. A meta é evitar as falhas atuais, sobretudo em regiões densamente habitadas e com maior tráfego de dados. A promessa é de que o 5G permaneça sempre estável, sem as variações de hoje para 3G, H e G.

A chegada de carros cada vez mais conectados também está criando novas oportunidades para os setores de serviços. Entre as inovações está a capacidade do proprietário atualizar alguns sistemas do carro remotamente. Essas funcionalidades já começam a ser oferecidas por marcas com Audi e BMW, por exemplo. E está presente em maior escala nos modelos da Tesla.

Esse sistema funciona por meio do recurso “Over The Air”. Mesmo à noite, na garagem de casa, ou enquanto o carro está no estacionamento do escritório, o “upgrade” pode ser feito por Wi-Fi á distância.

Para garantir que os carros “conversem entre si e troquem informações” a velocidade de conexão dever ser rápida. E isso só será possível com o 5G. Essa é a base do V2X, nome da comunicação do carro com semáforos, estações de emergência e empresas, entre outros, sem intervenção do motorista.

Futuro 100% conectado depende do 5G

Com isso, a implantação de redes 5G é fundamental para que os sistemas de condução autônoma funcionem de forma eficiente.Caso contrário, a atualização de mapas de trânsito, por exemplo, ficará comprometida. A possibilidade de troca de informações entre os veículos e o entorno é fundamental para reduzir os engarrafamentos, um dos maiores problemas das grandes cidades.

O leilão para a internet 5G está marcado no Brasil para o segundo semestre deste ano, com chegada prevista só para meados de 2021. No resto do mundo, uma briga entre EUA e China tenta provar qual o sistema mais eficiente. Independentemente do resultado, é importante saber que ela será essencial para o futuro da indústria automotiva.

Carros voadores, autônomos, V2X e toda sorte de futurologias automotivas vão depender do 5G, que tem velocidade de envio e recepção de dados entre 10 e 20 vezes mais rápida que o 4G usado em larga escala no mundo.

5G: diferenças

Além disso, o 5G promete ampliar a rede de cobertura. Isso garantirá que os novos sistemas dos veículos funcionem de forma mais eficiente, sem as chamadas áreas de sombra. A meta é evitar as falhas atuais, sobretudo em regiões densamente habitadas e com maior tráfego de dados. A promessa é de que o 5G permaneça sempre estável, sem as variações de hoje para 3G, H e G.

A chegada de carros cada vez mais conectados também está criando novas oportunidades para os setores de serviços. Entre as inovações está a capacidade do proprietário atualizar alguns sistemas do carro remotamente. Essas funcionalidades já começam a ser oferecidas por marcas com Audi e BMW, por exemplo. E está presente em maior escala nos modelos da Tesla.

Esse sistema funciona por meio do recurso “Over The Air”. Mesmo à noite, na garagem de casa, ou enquanto o carro está no estacionamento do escritório, o “upgrade” pode ser feito por Wi-Fi á distância.

Para garantir que os carros “conversem entre si e troquem informações” a velocidade de conexão dever ser rápida. E isso só será possível com o 5G. Essa é a base do V2X, nome da comunicação do carro com semáforos, estações de emergência e empresas, entre outros, sem intervenção do motorista.

Futuro 100% conectado depende do 5G

Com isso, a implantação de redes 5G é fundamental para que os sistemas de condução autônoma funcionem de forma eficiente.Caso contrário, a atualização de mapas de trânsito, por exemplo, ficará comprometida. A possibilidade de troca de informações entre os veículos e o entorno é fundamental para reduzir os engarrafamentos, um dos maiores problemas das grandes cidades.

Fonte: Estadão